Breaking News

Após cheirar um pózinho, Casa grande critica encontro entre Bolsonaro e Marcelinho Carioca


O ex-jogador de futebol, Casagrande, o qual é ídolo do Corinthians, condenou o encontro ocorrido entre Bolsonaro e Marcelinho Carioca, nesta quarta-feira (29). Sem citar nomes, o ex-jogador afirmou que nenhum “ex-jogador tem o direito de representar o clube politicamente”.

“Eu cheguei em 1975 nesse clube aqui, no Corinthians, comecei minha vida lá, corintiano de garoto, cheguei para jogar no dente de leite, nas categorias de base do Corinthians. Em 1979, a torcida do Corinthians abriu uma faixa no Pacaembu dizendo anistia para os presos políticos e exilados políticos” — disse Casagrande.


Logo em seguida, ele acrescentou:

“Em 1982, 1983, até 1985 essa camisa aqui era da democracia corintiana, essa camisa representa liberdade, representa democracia, e nenhum ex-jogador tem o direito de representar o clube politicamente. Eu também não tenho. Isso aqui é democracia. Isso aqui sempre foi democracia.”



Encontro entre Marcelinho e Bolsonaro

Marcelinho Carioca, que também é ídolo do Corinthians, visitou o presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira. Na ocasião, o ex-jogador conseguiu fazer com que o presidente, que é torcedor do Palmeiras, vestisse a camisa do Corinthians.

O encontro do atleta com o mandatário brasileiro ocorreu, sobretudo, como um gesto de apoio a Medida Provisória (MP) 984/20, a qual altera inúmeros itens da Lei Pelé, flexibilizando algumas normas do futebol brasileiro. Entre os pontos mais importantes está o chamado “direito de arena”, que a partir da MP dá direito de transmissão dos jogos para os clubes mandantes. Antes dessa medida, o chamado “direito de arena” era divido entre o dono da casa e o adversário da partida. Dessa forma, os clubes terão mais opções na hora da negociar as transmissões de seus jogos, podendo transmitir as partidas por alguma plataforma digital ou negociar individualmente com outras emissoras.

Essa MP, que ainda deverá passar por apreciação no Congresso Nacional, impacta diretamente a Rede Globo e a sua relação com os times de futebol, pois, caso a medida seja aprovada pelo Poder Legislativo, os clubes terão muito maior poder de barganha na hora de negociar as suas transmissões.

Obs: Vale lembrar que Casagrande é comentarista de futebol da Rede Globo.

Nenhum comentário