Breaking News

Hospital de campanha inicia atendimento de refugiados em Roraima

Unidade recebeu apoio de agência da ONU para ser disponibilizada 


Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Entrou em operação nesta sexta-feira (19), em Boa Vista a Ala Cuidados do hospital de campanha construído para atender pessoas refugiadas, migrantes e moradores das comunidades locais vítimas da covid-19. O funcionamento da ala especial marca o Dia Mundial do Refugiado, celebrado neste sábado (20).

Construído com o apoio da Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e parceiros, o hospital faz parte da chamada Área de Proteção e Cuidados (APC), que é uma das frentes da resposta de saúde dos governos federal, estadual e municipal à pandemia do novo coronavírus e amplia o número de leitos de terapia intensiva disponíveis na região.

Atualmente, de acordo com a Acnur, cerca de 43 mil pessoas refugiadas vivem no Brasil e mais quase 300 mil pessoas já apresentaram solicitação para reconhecimento da condição de refugiado. Muitos estão abrigados pela Operação Acolhida, ação liderada pelo governo federal para lidar com o alto fluxo de imigrantes venezuelanos para o Brasil. Para muitas dessas pessoas, ficar em casa em isolamento social não é uma opção, já que boa parte vive em moradias temporárias e precisa dividir espaço com muitas pessoas.

A Área de Proteção e Cuidados é dividida em duas partes. A primeira, de Proteção, é para isolamento de casos suspeitos e confirmados e tem capacidade para receber até mil pessoas. Ela é composta pelas 250 unidades residenciais doadas pelo Acnur. A área de Cuidados é destinada ao atendimento de casos mais graves (nas unidades de tratamento intensivo), aos que requerem acompanhamento clínico (menos graves) e às internações em enfermaria. No total, 782 leitos estarão disponíveis para a população.

Além de contribuir para o estudo preliminar do plano arquitetônico da APC, a Acnur doou 2 mil camas e 250 unidades residenciais (casinhas modulares que substituem as tendas) usadas nos abrigos da Operação Acolhida para servir como ambientes de isolamento de casos suspeitos e confirmados. A Acnur colaborou com o desenvolvimento da ferramenta de gestão da informação que permite processar prontuários médicos e agilizar os atendimentos e também articulou uma parceria com o Fundo Todos Pela Saúde, que doou equipamentos de proteção individual, aparelhos hospitalares e outros insumos que estão contribuindo para o funcionamento efetivo deste hospital de campanha.

A agência da ONU informou ainda ter distribuído mais de 9 mil kits de limpeza, higiene pessoal, colchões e redes para o atendimento de cerca de 15 mil imigrantes da Venezuela.

A Agência das Nações Unidas para Refugiados é uma organização humanitária global que atua na promoção dos direitos dos refugiados, deslocados internos, apátridas e vítimas de violações dos direitos humanos. Presente em mais de 130 países, a Acnur atua em conjunto com os setores público e privado, em ações de caráter emergencial, mas também no aprimoramento de políticas públicas e no apoio direto a organizações da sociedade civil.

Edição: Nádia Franco

Nenhum comentário